5.8.17

um tributo a minha primeira câmera

Uma das melhores sensações que existem é conquistar as coisas com o fruto do seu esforço. Finalmente comprei minha câmera dos sonhos (uma Canon EOS Rebel T5). Parcelada? Sim. Mas comprei, hahaha. E vou pagar com meu dinheiro. Isso é muito maravilhoso! 

Por causa disso, vou "aposentar" minha boa, velha, simples e amada Power Shot, mas não podia fazer isso sem antes oferecer uma homenagem a ela: que viajou comigo tantas vezes e me permitiu registrar momentos únicos e pessoas especiais. Fiz uma seleção dos melhores clicks, e quem diria que eu tiraria tantas fotos boas, das quais me orgulho tanto, com ela.

Jujuba (ou Júlia, ou minha prima/irmã), sempre minha melhor modelo

As melhores amigas, a melhor viagem

Mandinha (Amanda): amiga de infância, futura atriz e a paulistana mais amorzinho que você respeita

Larissa e Laura: os presentes que o ensino médio me deu

Vitor: primo de sangue, irmão de coração




Malhação de Judas no sítio da minha tia (não concordo com esse "rito", mas a foto ficou boa, vai?)

Uma casinha muito simpática em Trindade-RJ

Trindade-RJ
Trindade-RJ



A viagem a Trindade rendeu ótimas fotos. Essa é minha preferida

Olha ela de novo

Festival das Estrelas - Bairro da Liberdade - São Paulo

Festival das Estrelas - Bairro da Liberdade - São Paulo



Quando você ta de boas na praia e descobre que vai ter show da Paula Fernandes (de graça)


Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim

Restaurante abandonado no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim 

Minha boa e velha Itatiba

Barê

Barê

Barê (como amo você!)

Mia




26.7.17

os cantos calmos dentro do furacão


Essa semana seria a mais louca do ano, acho, se não fosse por esse feriadinho na quarta (feriado municipal, ta gente? Foi só na cidade onde eu trabalho). Deu pra dar uma respirada, mesmo com o nariz congestionado por causa da gripe. Aliás, deixa eu compartilhar uma coisa que descobri no meu médico segunda. Eu trabalho com crianças (faz dois meses já! como passa!) e ele disse que por conta disso meu organismo entende que voltei a ser criança, por isso to doente. Vai ser assim durante um ano mais ou menos, até meu corpo se acostumar com a nova rotina. Engraçado isso, né?! To contando pra todo mundo que vejo, hahaha. Nosso corpo é muito doido.

Mas voltando. Tô em modo avião hoje e essa calmaria toda é até estranha. É a primeira vez que passo o dia todo na casa nova e é bem tranquilo aqui, levando em conta que moro em uma avenida. Dia primeiro as minhas aulas voltam, então vai demorar pra ter dias como esse de novo, tem que aproveitar. Dormir as horas que faltam. Postar aqui. Na sessão devaneios, porque é a única que vou conseguir alimentar no momento, me desculpem!


Também tirei o dia pra ler. No refeitório da creche onde eu trabalho tem uma estante, é tipo uma mini biblioteca. Emprestar, ler, devolver. Peguei um livro ontem (na verdade já peguei vários) por causa da capa (sou dessas) e comecei a ler no ônibus enquanto voltava pra casa. São contos "escritos por crianças". Pretendo falar sobre eles aqui, aí você vai entender o porquê das aspas ali. Keep calm e segura essa curiosidade. 

Eu até diria "que quinta e sexta passem voando", mas por que tanta pressa, né?
Desfrutem desse restinho de semana com calma.
um dia de cada vez.
aproveitando o melhor que eles tiverem a oferecer.
como to tentando fazer.
Beijo!

15.7.17

sobre saudades diárias

Coisa demais em muito pouco tempo. Em questão de 7 meses minha vida virou de ponta cabeça. De um jeito bom, mas virou. Entrei pra faculdade, comecei a trabalhar e mudei de cidade (não moro mais com minha mãe. Acabou-se o tempo do: pega minha toalha!!!).

Sempre quis essa independência toda e sempre soube que com ela viriam muitas responsabilidades: fazer sua própria comida, não esquecer de pagar as contas, tirar boas notas. Não posso dizer que preparada é a palavra certa pra dizer como eu estava; ciente e disposta combinam um pouco mais com a situação. E, apesar dos pesares, ta sendo uma experiência incrível.

A primeira coisa que eu aprendi com tudo isso foi que eu era feliz e não sabia. Não que eu não seja feliz agora, o que eu quero dizer é que percebi que não dei o devido valor aos meus anos de ensino médio e a saudade enorme que sinto deles agora só me mostra como foram bons tempos.

Dia desses, conversando com uma das minha melhores amigas, percebi que desde que o colegial acabou eu sei cada vez menos sobre a vida dos meus amigos. Ainda compartilhamos muita coisa, mas whatsapp não é o mesmo que conversar todos os dias na escola. E muita coisa mudou.

Conforme a gente cresce o número de saudades diárias só vai aumentando, mas isso não é necessariamente ruim. Saudade é sinal que o passado foi bom. No meio desse turbilhão no qual estou hoje, eu aprendi a amar ainda mais meu ontem e dar mais valor pro presente. 

17.6.17

uma tag pra lembrar dos blogs antigos

Lembro de quando entrei na blogsfera. Foi em 2014, eu tinha uns 15/16 anos, estava no ensino médio e apaixonada por um menino da escola, coisa típica de adolescente. O nome do meu primeiro blog foi She Says Hey Ho, uma alusão a essa música do Ramones, banda da qual esse garoto por quem eu estava apaixonada gostava. O tempo passou, eu "desapaixonei", o blog deixou de existir e hoje nem escuto mais Ramones. 

Eu tive vários cantinhos na internet depois do SSHH, mas tem um, especial, do qual me lembro com muito carinho. Ele se chamava Imagine Road e foi com esse blog que ganhei minha primeira (e mais querida) leitora, a Milena. Foi com ele, também, que descobri o que era blogar e me apaixonei por isso. O IR foi o pontapé inicial, e que saudade eu tenho da época em que escrevia nele. A época da "blogsfera das tags", a blogsfera mais pessoal de todas, que só quem viveu sabe como era.

O Imagine Road deixou de existir, não vai voltar. Mas quem disse que não dá pra sentir o gostinho dessa época boa de novo? Dá sim, a gente só precisa de uma tag. E quando a Mi me marcou nessa foi só nostalgia. Ela a encontrou no blog Lullaby, da Gabriela. Um lugar que ilustra bem como era essa blogsfera antiga e muito gostosinha da qual eu sinto tanta saudade. 

Regrinhas:

Completar todas as frases.
- Repassar a tag para 5 pessoas e avisá-las sobre.

*****
  • Eu sou uma mistura muito louca de perfeccionismo e indecisão. Mas como já dizia Raul, prefiro ser essa metamorfose ambulante...
  • Eu não suporto injustiça e gente que veio ao mundo só pra espalhar ódio.
  • Eu nunca passo um dia sem ouvir música. Música é meu combustível.
  • Eu já fui muito tímida e insegura. Ainda sou um pouco, claro, mas sinto que já melhorei muito.
  • Quando criança eu sonhava em ser bailarina.
  • Neste exato momento, estou pensando no quanto eu mudei ao longo da vida e em como as mudanças foram boas.
  • Eu morro de medo de perder as pessoas que eu amo.
  • Eu sempre gostei de cantar (por mais que eu seja muito desafinada, hahaha).
  • Se eu pudesse, salvaria todos os animais que vivem na rua.
  • Fico feliz quando estou perto das pessoas que eu amo e me sinto amada também.
  • Se pudesse voltar no tempo, não mudaria nada. Tudo o que aconteceu na minha vida me fez ser quem sou hoje e eu sinto muito orgulho dessa pessoa. 
  • Adoro assistir filmes e séries junto com minha mãe.
  • Quero aprender a me amar cada dia mais e, assim, poder ajudar outras pessoas a fazerem isso também.
  • Eu preciso de tempo pra fazer as coisas.
  • Não gosto muito de pessoas arrogantes, que precisam rebaixar o outro pra se sentirem melhor.

*****

Vou indicar a Fer, a Re, a Ana, a Mab e a Anite para responderem a tag também! 
Por hoje é só e eu acho que não tinha jeito melhor de trazer o Diarizar de volta a vida. 
Um beijo e até mais!